Você está aqui: Página Inicial > Noticias > O Mosaico - chamada aberta para o dossiê temático "Corpos, saberes e ancestralidade: decolonialidade das artes e saber(es) do corpo"

O Mosaico - chamada aberta para o dossiê temático "Corpos, saberes e ancestralidade: decolonialidade das artes e saber(es) do corpo"

Pesquisa

por publicado: 30/11/2020 10h45 última modificação: 30/11/2020 10h47

CHAMADA ABERTA PARA O MOSAICO - REVISTA DE PESQUISA EM ARTES

01/12/2020 a 01/06/2021

Dossiê temático: CORPOS, SABERES E ANCESTRALIDADE: DECOLONIALIDADE DAS ARTES E SABER(ES) DO CORPO

Coordenação: Prof. Me Jesse da Cruz [A/R/Tógrafo]

 

O Mosaico – Revista de Pesquisa em Artes (ISSN: 2175-0769), que é aberta ao livre acesso de ARTIGOS, RESENHAS, ENSAIOS, ENTREVISTAS e MEMORIAIS DESCRITIVOS, busca promover iniciativas de troca de conhecimento com a comunidade científica, artística e com a sociedade.

 A nova edição com a (de)composição do dossiê temático – CORPOS, SABERES E ANCESTRALIDADE: DECOLONIALIDADE DAS ARTES E SABER(ES) DO CORPO [previsão para publicação – 2º semestre de 2021], coordenado pelo artista, professor e pesquisador, Jesse da Cruz, tem por problematização e finalidade, reconhecer, refletir e promover uma encruzilhada sobre a decolonialidade das artes e saber(es) do corpo no âmbito da Arte-Educação, interseccionando entre corpos subalternizados, (in)visíveis, (co)relacionado aos saberes e fazeres de uma ancestralidade apagada pela colonialidade. Com o intuito de promover uma nova geopolítica a partir do giro da decolonialidade, encanta-se encruzilhar propostas que dialoguem com práticas pedagógicas antirracistas que tenham como base a historicidade, o corpo, assim como encantos artográficos que visibilizem os corpos, o pensar e o fazer pedagógico/performático.

O dossiê trata sobre teatralizar, dançar, performatizar, encruzilhar, oferendar, invocar, musicar e seus múltiplos (en)cruzamentos artísticos, metodológicos, conceituais, estéticos, políticos, sociológicos, epistemológicos, contextuais e históricos.

Os trabalhos poderão estar vinculados a um [ou mais] dos seguintes eixos temáticos:

Corpo, corporeidade e diversidade na Educação;

Epistemologias e metodologias negras decoloniais e antirracistas;

Teatralidade, dramaturgia do corpo, práticas e saberes decoloniais nas Artes Cênicas;

Artografia;

Antropologia da Dança como possibilidades ancestrais estéticas;

Corpos resistentes: provocações estéticas nas Artes;

Saberes ancestrais na composição cênica;

Práticas e saberes decoloniais sobre o corpo no Cinema e nas Artes do Vídeo;

A Revista ainda recebe trabalhos em fluxo contínuo que não necessitam vinculação à temática do dossiê, mas obrigatoriamente deverão versar sobre algum aspecto relativo ao campo das Artes.

Os/as interessados/as em submeter resenhas críticas sobre livros, dissertações e teses publicadas ou filmes exibidos, deverão observar que o material resenhado deve ter sido desenvolvido nos últimos cinco anos.

 

PRAZOS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS:

O prazo de submissão do texto e do mini-currículo à Revista O Mosaico é de 01/12/2020 a 01/06/2021, postando o trabalho, mediante a realização de cadastro, no site:

http://periodicos.unespar.edu.br/index.php/mosaico/about/submissions#onlineSubmissions

Após este prazo, os textos serão encaminhados aos membros do Conselho Editorial e aos pareceristas ad hoc da Revista.

Previsão de publicação da edição: outubro/novembro de 2021.

Jesse da Cruz – É Doutorando em Educação pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) – linha de pesquisa LICORES: Linguagem, Corpo e Estética na Educação, com o grupo de pesquisa RIZOMA. É Mestre em Educação pela FURB (Universidade de Blumenau/SC, 2018) com a linha de pesquisa de 'Linguagens, Arte e Educação", com foco no estudo do Corpo Negro na Dança. Integra o Grupo de pesquisa "Arte e Estética na Educação" cuja pesquisa é baseada na Artes a partir da epistemologia A/r/tográfica. Idealizador do Congresso Brasileiro de Dança Educacional. Coordenador nas Especializações do Centro Sul Brasileiro de Pesquisa Extensão e Pós-Graduação nos cursos de Artes Cênicas e Dança Educacional e no Curso Técnico do Governo do Estado de Santa Catarina - Joinville/SC. Professor na FURB desde 2017 no departamento de Arte, lecionando disciplinas de Projetos e Produção Cultural, Dança e Novas Tecnologias, Dança Cênica e Teatro de Formas Animadas para os cursos de Música, Dança e Teatro/Parfor. É membro do NEAB (Núcleo de Estudo Afro Brasileiro). Como Produtor Cultural desenvolve pesquisa e trabalhos em produções nacionais como fomentação do Boi Garantido em Parintins/AM (2017). Coordenou o Festival de Dança de Joinville (2013, 2014, 2015). Diretor Coreográfico do Afoxé Omilodê da Associação Casa da Vó Joaquina e Coordenador Artístico do Mês da Consciência Negra (desde 2014). É atuante como coreográfico e assistente de Comissão de Frente, passando pelas Escolas de Samba: DASCUIA (Florianópolis), GRES DIVERSIDADE (Joinville/SC), UNIDOS DO PAULAS (São Francisco do Sul/SC), GRES TRADIÇÃO (Rio de Janeiro/RJ) e apoio técnico UNIDOS DA TIJUCAS (Rio de Janeiro/RJ). Professor de formação na disciplina de Danças Brasileiras e coreógrafo como convidado junto a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. Parecerista de Projetos Culturais de nível nacional, estadual e municipal.