Você está aqui: Página Inicial > Noticias > Grupo de Pesquisa Eikos participa do lançamento do Migracine – Obsevatório de Cinema e Migrações Transnacionais

Grupo de Pesquisa Eikos participa do lançamento do Migracine – Obsevatório de Cinema e Migrações Transnacionais

Geral, Pesquisa

por publicado: 12/11/2021 15h31 última modificação: 12/11/2021 15h39

Os grupos de pesquisa Eikos, do Programa de Pós-Graduação em Cinema e Artes do Vídeo (PPGCINEAV) da Universidade Estadual do Paraná (Unespar), e Deslocar e Sense, do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas de Consumo da Escola Superior de Propaganda e Marketing (PPGCOM-ESPM) realizarão, no próximo dia 17 de novembro, o evento de lançamento do Migracine – Observatório de Cinema e Migrações Transnacionais

O Migracine foi criado com o objetivo de ampliar e atualizar, de modo permanente, o acesso a dados de obras audiovisuais sobre migrações transnacionais, em diferentes formatos, linguagens e gêneros narrativos. O Migracine pode ser acessado em observatoriomigracine.com e acompanhado no @observatoriomigracine. 

O evento será realizado no dia 17/11, às 18h, com a palestra “A autorrepresentação como atitude transformadora no cinema”, ministrada por Welket Bungué. A inscrição é gratuita e pode ser feita pelo link tinyurl.com/migracine, a partir do qual os inscritos poderão também ter acesso aos filmes do palestrante. Haverá tempo para debate com o público. 

Welket Bungué é artista transdisciplinar, de etnia balanta, nascido na Guiné-Bissau em 1988. Reside em Berlim, mas trabalha artisticamente em nível internacional. É co-fundador da produtora KUSSA, licenciado em Teatro no ramo de Atores (ESTC/Lisboa) e pós-graduado em Performance (UniRio/RJ). É membro permanente da Academia Portuguesa de Cinema, da Deutsche Filmakademie, e da European Film Academy.  Uma entrevista com Welket Bungué publicada na Revista Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual (REBECA), da SOCINE, intitulada De corpos periféricos ao cinema de autorrepresentação, pode ser acessada aqui. 

O Migracine entra no ar com mais de 200 obras catalogadas, entre filmes de ficção, documentários e séries de todos os continentes, e um sistema de busca disponível por palavras-chave, regiões geopolíticas ou interfaces temáticas: Infância e juventude; Gênero e sexualidade; Racialidade e Realizadores(as) migrantes e refugiados. O projeto é coordenado pelas professoras Dras. Denise Cogo e Gabriela Almeida, pela ESPM, e o professor Dr. Rafael Tassi Teixeira, pela Unespar.